Startups e Pensamento Computacional

Nas aulas práticas de Pensamento Computacional, os alunos dos 6º e 7º anos se tornaram donos de startups, empresas emergentes que desenvolvem um modelo de negócio escalável de um produto, serviço, processo ou plataforma. Eles aplicaram conceitos de variáveis, estudados em sala.

Na atividade, os alunos foram divididos em empresários que desejavam investir nas startups e os donos delas. Para receber o investimento, eles deveriam responder perguntas dos empresários, conquistar os estados brasileiros e provar seu valor.

O professor Pedro Lobo, que orientou a atividade, explicou que os empresários fizeram perguntas cujas respostas são estados brasileiros e as startups são os spheros. “Os pesquisadores da startups acharam a resposta e os programadores levaram a  startup (Sphero) até o estado resposta”, contou.